Futebol/Latinoamericano

Vaga no cérebro e no pulmão

O São Paulo teve uma fase de grupos muito complicada nesta Libertadores. Começou perdendo para o The Strongest no Pacaembu, o que sempre atrapalha os planos de classificação de um clube. O empate com o Trujillanos fora de casa, o time mais fraco da chave, também foi um resultado pra lá de adverso.

Mas contou com a sorte e o tropeço dos adversários. O The Strongest perdeu para o Trujillanos e levou 6 do River na Argentina. Graças a isso, o time de Edgardo Bauza não só chegou vivo na última rodada como dependendo apenas de um empate contra os bolivianos na altitude. Só que o problema era exatamente esse. O The Strongest em casa conquista mais de 70% dos pontos disputados muito por conta dos 3.600 metros de altitude de La Paz, que desgasta os adversários.

O São Paulo, no returno, mostrou evolução. Atropelou o Trujillanos e venceu o River Plate com uma boa atuação coletiva. A goleada sofrida para o Audax, pelo Paulistão, recolocou a pulga atrás da orelha do torcedor.

E o começo do jogo desta quinta-feira (21) em La Paz também. O The Strongest, mesmo sendo um time fraco tecnicamente, pressionou o São Paulo desde o início do jogo. Fosse um time melhor, teria chegado aos gols com naturalidade. Bauza foi ousado ao preparar um esquema mais defensivo, deixando Ganso no banco de reservas para a entrada de Wesley, o infame.

O plano de Bauza só não deu 100% certo porque Denis ainda não aprendeu a sair do gol. Em mais uma bola aérea e uma atuação atabalhoada do goleiro, o The Strongest abriu o placar com Cristaldo.

Ainda assim, o São Paulo mostrou qualidades. Finalmente não se desesperou depois de tomar o gol e seguiu com o plano de jogo. Conseguiu o gol de empate ainda no primeiro tempo, com Calleri, artilheiro da Libertadores, de cabeça.

Foto: Rubens Chiri/SPFC

Foto: Rubens Chiri/SPFC

O segundo tempo foi ataque contra defesa. Precisando de mais um gol, o The Strongest foi para o ataque e o São Paulo armou a retranca marota para sobreviver as investidas bolivianas e a falta de ar. Bauza colocou Caramelo, Ganso e Kardec nos lugares de Bruno, Michel Bastos e Calleri.

A entrada de Ganso fez o time ter um pouco mais de posse de bola e ajudou o time a passar o tempo. Kardec foi muito importante defensivamente, ajudando na marcação pelo lado esquerdo da defesa, onde Pablo Escobar era o único com lucidez no The Strongest para representar algum perigo e tocava o terror em Mena.

E, contrariando o hábito de times brasileiros, o São Paulo soube catimbar. Passou um pouco da conta ao ver Denis ser expulso por fazer cera, o que obrigou o zagueiro Maicon, o melhor em campo, a terminar o jogo com a camisa 1.

E Maicon mostrou qualidades no gol. Se não fez nenhuma defesa, já que o time soube se defender e não deixou o The Strongest chutar a gol, o zagueiro tricolor precisou sair do gol umas três vezes. E em todas foi melhor do que o titular da posição.

Foto: Rubens Chiri/SPFC

Foto: Rubens Chiri/SPFC

Na base do suor, o São Paulo chegou ao mata-mata. Reconheça-se que, se estivesse em um grupo com times de melhor qualidade, dificilmente teria conseguido se classificar. Mas classificou. Nas oitavas, vai enfrentar o forte Toluca, do México, com o primeiro jogo Morumbi e a volta na altitude de 2.600 metros. Diante de um time muito melhor do que o The Strongest.

Apesar de tudo, os problemas seguem. Com o apito final, o time boliviano protagonizou cenas lamentáveis ainda dentro do campo e causou a expulsão de Calleri, envolvido no entrevero. Precisando fazer um bom resultado na semana que vem, o São Paulo vai sem seu centroavante e artilheiro da competição.

Foto: Rubens Chiri/SPFC

Foto: Rubens Chiri/SPFC

Mas vamos ao que interessa. Ficaram assim os jogos do mata-mata da Libertadores 2016.

Atlético Nacional x Huracán
Rosario Central x Grêmio

Atlético-MG x Racing
Toluca x São Paulo

Pumas x Deportivo Táchira
River Plate x Independiente Del Valle

Corinthians x Nacional
Boca Juniors x Cerro Porteño

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s