Brasileiro/Futebol/Latinoamericano

Não há jogo fácil na Libertadores

O São Paulo sempre foi favorito para se classificar diante do César Vallejo para a fase de grupos da Libertadores 2015. Depois de uma atuação interessante e um bom empate fora de casa, a expectativa era de uma goleada no Pacaembu para sacramentar a vaga e dar confiança para os próximos duelos pela competição continental.

O objetivo foi alcançado, mas de uma maneira bem mais burocrática do que os 33 mil torcedores que foram ao Paulo Machado de Carvalho esperavam. Bem marcado, o tricolor paulista não criou grandes oportunidades no primeiro tempo. Os peruanos também não ameaçavam muito e só chegavam ao gol de Denis quando descolavam uma falta pelas laterais e alçavam a bola na área. Nada que assustasse muito.

O que assustou mesmo foi a impotência do São Paulo. Que melhorou um pouco no segundo tempo. A retranca peruana parecia que iria desabar logo no começo da segunda etapa, quando Ganso cavou um pênalti, mal batido por Michel Bastos, que, por sinal, estava muito nervoso em campo e pode estar precisando de um chá de banco para voltar a apresentar o bom futebol que mostrou no já longínquo 2014.

Michel Bastos foi todo errado para a bola. Tava na cara que ia dar errado (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Michel Bastos foi todo errado para a bola. Tava na cara que ia dar errado (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

O pênalti perdido ao menos acordou o time, que passou a pressionar mais e acertou a trave por duas vezes, com Calleri, principal nome do São Paulo no jogo, com muita luta, e Hudson, outro que se apresentou com muita vontade em campo.

E foi premiado com um gol aos 43 do segundo tempo, quando Rogério aproveitou uma bola que sobrou na área depois de uma cabeçada de Rodrigo Caio. O mesmo Rogério, que fez o gol nos acréscimos no Serra Dourada ano passado, que classificou o São Paulo para a Libertadores. O mesmo Rogério, predestinado, que não iria nem para o banco de reservas, mas ganhou a chance graças a uma amigdalite que tirou Alan Kardec do jogo.

Rogério, o predestinado (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Rogério, o predestinado (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Foi justo, mas podia ter sido mais tranquilo.

Com o resultado, o São Paulo foi parar em um grupo com River Plate, The Strongest e Trujillanos, da Venezuela. Teoricamente, sem muitas dificuldades para se classificar aos mata-matas.

Mas, como o São Paulo já experimentou contra o César Vallejo, não existe facilidade na Libertadores. Quem achar que a classificação para as oitavas vai ser fácil como seria a ida para a fase de grupos, reveja seus conceitos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s