Futebol/Latinoamericano

O inexplicável Sandro Meira Ricci

Não é só de jogadores e técnicos a crise na qual se afunda o futebol brasileiro. A arbitragem também passa por um momento absurdo. Claro que não é possível afirmar nada sobre esquemas, roubalheiras ou algo desse tipo, já que não existem provas cabíveis para tal afirmação.

Mas é fato que os apitadores estão numa fase horrível. Refletida em um nome, o de Sandro Meira Ricci. Com certeza, o árbitro mais polêmico da atualidade. Sempre que escalado, os dois times envolvidos no jogo já sentem calafrios. E, inexplicavelmente, é o homem com mais prestígio dentro da CBF. Tanto que foi o escolhido para ser o representante brasileiro na arbitragem na Copa de 2014 e agora na Copa América 2015.

E em todos os jogos, Sandro Meira Ricci dá motivos para questionar a sua escolha. Nesta quarta-feira (24), ele apitou Chile e Uruguai, pelas quartas de final da Libertadores.

Com, como sempre, decisões controversas. A de maior destaque foi em relação à expulsão do atacante uruguaio Cavani, após ser provocado pelo seu marcador Jara com um delicado FIO TERRA, revidado até delicadamente com um tapa no rosto. Sim, apenas o uruguaio foi expulso.

Reprodução

Reprodução

Ricci ainda expulsaria o lateral Fucile após uma entrada em Alexis Sanchez que acertou primeiro a bola, caindo na pressão chilena.

Pressão chilena que não foi apenas sobre o fraco árbitro brasileiro. O time da casa foi superior sobre o Uruguai o tempo tempo inteiro, com mais posse de bola, só que com pouca objetividade. Os celestes jogaram especulando por um contra-ataque que nunca veio. E ainda tomaram um gol quando tinham oito homens na área, quando Valdivia pegou o rebote de Muslera e serviu Isla, que chutou no canto, fazendo o único gol da partida. Lembrando que a expulsão de Cavani ocorreu quando o jogo ainda estava 0 a 0. Jogando melhor ou não, o Chile foi beneficiado por ter um homem a mais e chegou ao gol assim.

Mesmo aos trancos e barrancos, usando o fator casa e arbitragens muito fracas, o Chile é a melhor seleção da Copa América até aqui. E deve estar na final, já que enfrentará o vencedor de Peru e Bolívia na semifinal.

Mas ainda precisa melhorar muito para conseguir o tão sonhado título.

Quanto a Sandro Meira Ricci, nem a Conmebol aguentou tamanha incompetência. E, após dois jogos, mandou o brasileiro de volta para casa. Tomara que para sempre. Uma pena que a CBF dificilmente seguirá o exemplo. Mas basta uma pesquisa rasa no google para ver como o juiz é fraco.

Anúncios

Um pensamento sobre “O inexplicável Sandro Meira Ricci

  1. Pingback: La Teta Teresa, profeta da Copa América | Fut 'n' Roll

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s