Europeu/Futebol

Intensidade e individualidade dão triunfo à Juventus

É fato que a Juventus tem um grande time. Campeã pela quarta vez seguida na Itália, a vecchia signora tem uma equipe de respeito, com destaque para o atacante argentino Carlos Tévez, os meias Pirlo e Pogba, além de uma defesa extremamente sólida.

Apesar de todas as qualidades, também é fato que a Juve é a mais fraca dos quatro semifinalistas desta edição da Champions League.

Ciente disso, o técnico Maximiliano Allegri montou um time muito forte coletivamente para receber os atuais campeões europeus. Com uma marcação fortíssima sob pressão no campo de ataque, os italianos encurralaram o Real Madrid. Em dez minutos, quatro bolas foram na direção de Casillas. Na última delas, Tevez exigiu grande defesa do goleiro espanhol, que não impediu Morata de aproveitar o rebote e abrir o placar.

Mas é impossível manter tamanha intensidade por tanto tempo. E com 20 minutos, o ritmo do time da casa diminuiu. E o Real Madrid, mais técnico, começou a fazer o seu jogo. E chegou ao gol da maneira que chegou por várias vezes na temporada. Cruzamento de James Rodriguez, cabeçada de Cristiano Ronaldo.

Com o empate, o Real seguiu dominando as ações. Quase chegou à virada antes do intervalo, com um chute de James que parou na trave.

No segundo tempo, o jogo foi mais estudado. Menos para Carlitos Tevez, que decidiu causar o pandemônio para dar a vantagem à Juventus. Criou as principais chances do ataque bianconero e foi premiado aos 11 minutos, quando deu uma arrancada para a direção do gol e só foi parado na base da pancada. Pênalti que o próprio argentino converteu.

Foto: Juventus

Foto: Juventus

Ao contrário da primeira etapa, o Real Madrid não conseguiu se impor. A Juventus se organizou na defesa apostando em um contra-ataque matador, que ficou apenas na ameaça.

No fim das contas, a vitória da Juventus foi justa. Mas ainda é pouco para tirar o favoritismo do confronto do Real Madrid. Para se classificar, os merengues precisam de uma vitória por 1 a 0 no Santiago Bernabéu ou qualquer triunfo por mais de dois gols de diferença. À Juventus, basta o empate ou até uma derrota, desde que seja por um gol de diferença e que o time italiano marque duas vezes na capital espanhola.

A Juventus ainda manteve um tabu incômodo para o Real Madrid. O time dez vezes campeão europeu não vence na Itália há 28 anos por partidas de mata-mata. A própria Juventus, em três oportunidades antes desta terça-feira (05), colaborou para o trauma madrilenho, com triunfos nas quartas de final de 1996, na semifinal de 2003 e nas oitavas de final de 2005. A última vitória do Real Madrid em Turim foi em 28 de fevereiro de 1962, por 3 a 1.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s