Europeu/Futebol

Nervosismo e indefinição em Madrid

Atlético e Real Madrid entraram no gramado do Vicente Calderón nesta terça-feira (14) muito engasgados um com o outro. Os colchoneros por terem muito vivas na memória as lembranças da final da última Champions League, perdida no último minuto em uma cabeçada de Sérgio Ramos, que levou para uma prorrogação na qual foi atropelado. Já os merengues ficaram atravessados com os seis jogos seguintes, sem vitória em nenhum deles. Três deles na casa do rival, com três derrotas, sete gols sofridos e nenhum feito. Entre essas partidas, uma goleada por 4 a 0 que fez o time perder o rumo por alguns dias e fez a torcida questionar até Cristiano Ronaldo.

Em campo, o Real parecia mais decidido a não apanhar novamente. E dominou as ações, tendo muita posse de bola, sem deixar o Atlético pensar em correr na direção de Casillas. Tanto que foram oito chutes dos blancos no primeiro tempo, seis no alvo, contra apenas dois dos rojiblancos, apenas um no alvo. O goleiro atleticano Jan Oblak foi a grande figura da primeira etapa, enquanto o Real só foi ameaçado em uma saída errada de Sérgio Ramos, que quase permitiu a Griezmann abrir o placar.

Foto: UEFA

Foto: UEFA

No segundo tempo, os donos da casa voltaram mais arrumados. O Real Madrid já não teve tanta liberdade para criar e a partida se tornou muito mais truncada. Tanto que os merengues só criaram por meio de bolas aéreas. E contra uma defesa com Miranda e Godín, fica difícil. Do outro lado, o Atlético também apostou na bola aérea, mas também sem muito sucesso. O nervosismo tomou conta das duas equipes e o placar se manteve virgem.

Com isso, a decisão fica para a semana que vem no Santiago Bernabéu. Quem vencer avança. Em caso de novo empate sem gols, prorrogação. Se a igualdade for com gols, aí passa o Atlético de Madrid.

Na outra partida do dia, a Juventus venceu um jogo bem complicado contra o Monaco em Turim pelo placar mínimo. O gol da vitória veio em um pênalti bem maroto cobrado magistralmente por Vidal. Nem três Oblaks pegariam aquela bola.

Foto: UEFA

Foto: UEFA

A Juve vai para a França podendo empatar ou até perder por um gol de diferença, desde que faça um. Se o Monaco vencer por 1 a 0, a partida vai para a prorrogação. Os franceses só levam a vaga caso consigam um triunfo por dois ou mais gols de diferença.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s