Brasileiro/Futebol

A mudança necessária é a necessária?

Crédito: Reprodução

De antemão já respondo a pergunta acima. Não sei. Sinceramente. No entanto, é necessário fazer o registro de que a diretoria do Palmeiras (leia-se Paulo Nobre) ao menos está agindo dentro do mínimo que se pede para o planejamento da próxima temporada – o que para o Alviverde já pode ser considerado muito, levando-se em conta o cenários no mínimo tétrico dos anos anteriores.

A definição do técnico o mais rápido possível era extremamente necessária. A apresentação de Oswaldo de Oliveira na última terça-feira, independentemente de o nome ser um consenso entre a torcida, assim como a contratação de alguns jogadores e o andamento de outras negociações antes do fim do ano, mostra que Alexandre Mattos já atua como diretor de futebol do time de Palestra Itália nos bastidores, apesar de o mesmo ainda não ter sido anunciado oficialmente.

A vinda do dirigente foi uma decisão acertada do mandatário palmeirense. No entanto, para que o bom início não naufrague no mar revolto de problemas esmeraldinos, Nobre precisa dar autonomia e condiçõe$ para Mattos – junto com Oswaldo – reformular o elenco. No primeiro ponto, parece que o presidente verde e branco aprendeu depois da sucessão de presepadas na gestão do futebol, ao deixar o assunto com alguém que entende do riscado e um dos responsáveis pela montagem do Cruzeiro bicampeão brasileiro. Já o segundo tópico é um ponto de interrogação que causa calafrios na torcida. Quanto será investido no futebol palmeirense, que além de um time competitivo precisa também de um elenco qualificado e diversificado?

É impossível fazer uma análise de como será o Palmeiras em 2015. Ao menos parece que Nobre está tentando não repetir os erros do passado. E para que estas intenções se transformem em acertos, é fundamental que ele pense no Palmeiras como protagonista e não coadjuvante, seja racional e não emocional na primeira turbulência da temporada, e o mais importante de tudo: dê tempo para Alexandre Mattos e Oswaldo de Oliveira trabalharem.

Anúncios

Um pensamento sobre “A mudança necessária é a necessária?

  1. Oswaldo de Oliveira é o pior técnico que vi na vida. Só sabe ganhar jogos fáceis, nunca muda um panorama negativo durante a partida. Sofri muito com ele no São Paulo em 2002/2003. O time só andou quando ele saiu e o Rojas assumiu para levar o time à Libertadores 2004. Lá, Fábio Santos fodeu tudo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s