Brasileiro/Futebol

Todos queriam a Série B. O Palmeiras não conseguiu

O último dia do PODOLSKÃO 2014 tinha apenas três times realmente interessados em algo no campeonato. Palmeiras, Vitória e Bahia jogariam pela sobrevivência na Série A.

Times bem ruins, o que explica a situação de cada um na competição. Mas se esperava o famoso algo mais, a superação que carrega times limitados rumo a vitória, ao menos nesta última rodada. Especialmente com os adversários sem nenhuma pretensão no torneio. O Palmeiras recebeu o Atlético Paranaense com um time praticamente sub-18. O Vitória recebeu o Santos totalmente desmotivado. O Bahia foi a Curitiba pegar o Coritiba emocionado pela despedida de Alex.

O tricolor baiano foi quem começou melhor. Marcou dois gols no Coxa antes da metade do primeiro tempo e deu a impressão de que ao menos faria a sua parte, já que não dependia apenas de seu resultado para ficar na primeira divisão.

Mas o tempo passou, o time se acomodou e o Coritiba conseguiu a virada. Até Keirrisson, aquele, fez o seu gol. E o Bahia voltou para a Série B.

No novo Parque Antarctica, o Palmeiras entrou meio atordoado com a pressão para conseguir o resultado. E sentiu demais a necessidade da vitória. Acabou sendo pressionado pelo Atlético Paranaense e teve no goleiro Fernando Prass sua melhor figura em campo. Fez grandes defesas e só não impediu o gol de Ricardo Silva com pouco mais de dez minutos porque Lúcio estava em campo, o que complica qualquer defesa.

O drama, que já estava instaurado nas arquibancadas verdes, só não virou desespero porque pouco tempo depois o árbitro Leandro Vuaden viu uma mão na bola de um defensor do Furacão e marcou pênalti, prontamente convertido por Henrique.

Foto: Cesar Greco/Fotoarena/Palmeiras

Foto: Cesar Greco/Fotoarena/Palmeiras

A partir daí, o jogo ficou nervoso. Os times criaram poucas oportunidades e o placar se manteve inalterado.

O que deixou tudo nos pés dos jogadores do Vitória, que faziam uma partida medonha contra o Santos. Quando o apito final soou no Parque Antarctica, o rubro-negro baiano tinha pouco mais de um minuto para desvirginar as redes santistas e garantir sua permanência na primeira divisão.

Mas a competência que faltou no campeonato inteiro falou mais alto. Após desperdiçar um contra-ataque em que tinha cinco jogadores contra quatro santistas, o Peixe fez uma boa trama na área do time da casa que encerrou nos pés de Thiago Ribeiro, que afundou a bola para as redes e o Vitória para a segunda divisão.

No fim das contas, o Palmeiras ficou. Mas sem motivos para comemorar. E precisa repensar muita coisa na sua estrutura para que o ano do centenário não se repita no futuro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s