Brasileiro/Futebol

A escolha de Rogério Ceni

A decisão de se aposentar da carreira de jogador de futebol é sempre complicada. Afinal, é uma profissão, se conduzida em condições normais, sem contusões ou grandes problemas físicos, a qual você fica velho quando ainda é muito novo para a vida.

Se você é bem sucedido, então, é ainda pior. Não dá para imaginar a sensação de poder fazer algo importante, mas com a dúvida do até quando sabendo que não é por muito tempo.

E é claro que Rogério Ceni ainda tem lenha para queimar. Foi um dos destaques do time do segundo semestre, voltando a fazer gols de falta, pênalti e, mais do que tudo isso, grandes defesas.

Some-se a isso a volta do São Paulo à Libertadores, torneio que Rogério Ceni sempre sonhou em conquistar novamente, e a perspectiva da montagem de um bom time, melhor do que este, que tem tudo para ser vice-campeão brasileiro e parou na semifinal da Sul Americana.

Mas já são quase 42 anos de idade. Se a técnica é apurada e a experiência ajuda demais, a elasticidade não é mais a mesma. As dores no corpo também são maiores.

Ainda assim, é admirável ver um atleta que já conquistou tudo na vida pelo clube ainda ter fome para mais. E, sim, o grupo do São Paulo precisa de Rogério Ceni em 2015, um jogador experiente em um grupo que vai perder a outra referência nesse sentido, Kaká.

Só que, e isso já tem alguns anos, que Rogério Ceni alterna bons e maus momentos. Se o goleiro termina 2014 como um dos melhores do país, senão o que teve melhores atuações, ele foi muito questionado no primeiro semestre deste ano. E no primeiro semestre de 2013.

Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

Por mais que Rogério trabalhe até mais do que sempre trabalhou, se isso é possível, não há garantias de que ele manterá o alto nível das atuações no começo de 2015. E dirigentes e torcedores são muito volúveis no meio do futebol. Aqueles que pediram tanto por uma renovação de contrato podem ser os mesmos que irão pedir a cabeça do maior ídolo da história do São Paulo. O que seria injusto.

Claro que é bem possível também que Rogério Ceni lidere o São Paulo ao seu quarto título da Libertadores e tenha o melhor final de carreira possível na vida de um jogador. Mas a preparação tricolor para o torneio continental terá que ser ainda mais forte, afinal, a presença de Rogério Ceni coloca uma pressão no grupo por título nunca antes vista na história do clube. Assim como alivia a pressão sobre o seu sucessor, que terá mais oito meses para se preparar (se é possível fazer mais do que Denis faz na reserva).

Enfim, divago. A decisão é única e exclusiva de Rogério Ceni, que tem inteligência o bastante para ter pesado todos os prós e contras antes de tomar a decisão. O que posso dizer é que eu teria parado e iria para a comissão técnica contribuir com o time. Mas é impossível condenar Rogério por querer ganhar mais dentro do campo. Ele pode.

Mas só o tempo irá dizer se ele acertou.

Anúncios

3 pensamentos sobre “A escolha de Rogério Ceni

  1. Pingback: O mito e o tempo | Fut 'n' Roll

  2. Pingback: Colorado se aproveita de tropeços e passa o Corinthians na penúltima rodada | Fut 'n' Roll

  3. Rogério não pode parar pq o Denis não tem condição de ser titular, falta cancha pra ele. O São Paulo bobeia em não ir atrás do Cavaliere ou do Jeferson

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s