Brasileiro/Futebol

Joinville 28 anos depois

Foram 28 anos vagando pelos calabouços do futebol brasileiro. Mas após chegar perto no ano passado, o Joinville se tornou o primeiro time a carimbar uma vaga na Série A do Brasileirão 2015.

O acesso é incontestável. Em 34 jogos até o momento, foram 20 vitórias, 6 empates e 8 derrotas. O JEC ainda tem a melhor defesa da competição, tendo sofrido apenas 29 gols. E, na noite desta terça-feira (05), a festa foi confirmada com uma vitória no distante Maranhão sobre o Sampaio Corrêa por 2 a 1, gols de Everton e Fernando Viana ainda no primeiro tempo. William Paulista marcou para o Bolívia Querida na segunda etapa, quando a vaca já estava deitada.

Foto: Joinville Esporte Clube

Foto: Joinville Esporte Clube

A volta do Joinville à primeira divisão vem para corrigir uma injustiça cometida nos tempos em que o futebol brasileiro era uma várzea ainda maior do que é atualmente.

No Brasileirão de 1986, o último do JEC na primeira divisão, o time não foi rebaixado. Na verdade, fez uma campanha extremamente digna, indo para os mata-matas e terminando entre os 16 melhores times do Brasil.

Não tão digna na primeira fase, quando os 44 times foram divididos em quatro grupos de onze, onde se classificavam os seis primeiros de cada grupo, além de quatro equipes por índice técnico e quatro do chamado Torneio Paralelo, com equipes de menor expressão.

O Joinville terminou a primeira fase com 9 pontos, mas ganhou mais um no STJD da partida contra o Sergipe, que teria escalado um jogador de maneira irregular. Com os 10 pontos, o JEC garantiria uma vaga para a próxima fase. O problema é que o grande Vasco seria eliminado com isso. Inadmissível para Eurico Miranda, que foi à Justiça Comum, instaurando o caos no campeonato daquele ano. A CBF, sempre política, decidiu classificar os dois, eliminando, vejam só, a Portuguesa.

Mas 1986 era uma época na qual os times paulistas eram unidos. E, solidários à Lusa, os outros times do estado ameaçaram abandonar o campeonato. A solução foi aumentar o número de classificados para 36.

Eis que na segunda fase, a campanha do time melhorou. Terminou em terceiro num grupo que tinha São Paulo (futuro campeão), Palmeiras, Santos, Botafogo, Bangu (vice-campeão vigente) e América-RJ (futuro semifinalista), atrás apenas dos dois grandes da capital paulista.

No mata-mata, o adversário foi o Cruzeiro, que tinha a vantagem de jogar por dois resultados iguais. Na primeira partida, em Santa Catarina, 1 a 1.

Na volta, no Mineirão, apesar do favoritismo, o Cruzeiro não conseguiu se impor. Ainda assim, garantiu a vaga com o regulamento e as calças na mão após outro empate em 1 a 1.

Como destaques, aquele time tinha o lateral-direito Alfinete, o volante Junior (Dorival Junior, hoje técnico do Palmeiras) e o atacante Paulo Egídio, autor do gol do time no Mineirão.

Apesar da boa campanha, o Joinville não teve força política para disputar o módulo verde da Copa União de 1987, sendo relegado ao módulo amarelo, com times de menor expressão. E foi o time de pior campanha na sua chave, sendo eliminado ainda na primeira fase daquele campeonato. Precisou de 28 anos para se recuperar do baque.

Classificação da Série B do Campeonato Brasileiro 2014

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s