Brasileiro/Futebol

A dor dos acréscimos

Que o Palmeiras melhorou futebolisticamente falando desde a chegada de Dorival Júnior para o comando técnico, isso é inquestionável. Taí a campanha no segundo turno que não deixa mentir. Em doze jogos, foram cinco vitórias e dezoito pontos somados, a quinta melhor campanha.

O problema é que o campeonato não começou no segundo turno. E o Palmeiras faz uma campanha para fugir do rebaixamento. Entrou em campo para o dérbi paulista contra o Corinthians a míseros quatro pontos da zona.

E um gosto amargo na boca. Por mais que o empate contra o líder Cruzeiro no Mineirão tenha sido um bom resultado, o fato de o time ter tomado o gol de empate nos acréscimos da segunda etapa deixou o chope palmeirense aguado.

E a hidratação vai seguir nos lados do Parque Antarctica. Afinal, mais uma vez, o Palmeiras tinha o resultado positivo nas mãos e deixou de vencer por tomar um gol nos acréscimos.

Chega a ser cruel, já que o Palmeiras soube propor o jogo dentro das suas limitações. Valdivia esbanjou vontade e incomodou demais seus marcadores. Graças a uma jogada dele, que trouxe quatro corintianos para o seu redor, Wesley apareceu livre para chutar pela direita. Chutou mal, como sempre, mas a bola achou o centroavante Henrique sozinho na área, abandonado pelo seu marcador Fagner. Foi o 15° gol dele no campeonato, artilheiro isolado da competição.

Foto: Gazeta Press

Foto: Gazeta Press

A partir daí, o Corinthians passou a buscar mais o jogo. Sem muita inspiração, é bem verdade. No segundo tempo, Mano Menezes foi ousado ao colocar Malcom no lugar de Jadson, Romero no lugar de Petros e Danilo no lugar de Fábio Santos.

O time apertou o Palmeiras o quanto pode, mas sem grandes ameaças ao gol de Fernando Prass. E ainda quase tomou o segundo em chute de Wesley que acertou a trave de Cássio.

O Palmeiras já estava naquele momento irritante de enrolar o jogo o quanto podia apenas esperando pelo seu fim quando uma bola que sobrou na ponta esquerda do ataque corintiano caiu nos pés de Danilo. O meia chutou forte, a bola, que iria para fora, resvalou na BUNDA de Juninho, que se estatelava no chão naquele exato momento, e tomou o rumo das redes de Fernando Prass. Eram 47 minutos do segundo tempo.

Foto: Globoesporte.com

Foto: Globoesporte.com

Vendo o raio cair duas vezes no mesmo lugar, o Palmeiras tentou dar um novo final ao mesmo roteiro já visto no meio de semana. E quase conseguiu aos 49, quando Diogo acertou a trave de Cássio em uma cabeçada. Mas os deuses do futebol, aparentemente amigos de Mano Menezes, quiseram que o dérbi do Pacaembu terminasse mais uma vez empatado.

Pacaembu, aliás, que dificilmente receberá um novo dérbi, já que ambos os times estão com estádios novos. Pior para o Palmeiras, que não vence o Corinthians no Paulo Machado de Carvalho desde 1995.

O resultado é ruim para as duas equipes. O Corinthians empatou com o São Paulo na segunda colocação com 53 pontos, mas pode ver o rival abrir distância e ainda ser ultrapassado por Atlético Mineiro e alcançado por Internacional e Grêmio. Já o Palmeiras segue perto da zona da confusão, com 35 pontos, e pode ver os rivais na disputa por uma vaga na Série B 2015 se aproximarem.

Classificação do Campeonato Brasileiro 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s