Copa do Mundo/Futebol/Jogos Inesquecíveis

Alemanha x Argentina – a final que mais se repetiu em Copas do Mundo

Alemanha e Argentina já se enfrentaram por seis vezes em Copas do Mundo, com ampla vantagem para os germânicos. O primeiro confronto foi em 1958, na Copa da Suécia, quando as duas seleções ficaram no mesmo grupo, e a Alemanha venceu por 3 a 1. Oito anos mais tarde, na Copa da Inglaterra, novamente as seleções se encontraram na fase de grupos e empataram sem gols. Em 2006, jogando em casa, a Alemanha cruzou o caminho da Argentina nas quartas de final e os germânicos passaram para a semifinal após empate por 1 a 1 no tempo normal e vitória nos pênaltis. Na última Copa, na África do Sul, novo duelo nas quartas, mas a Alemanha massacrou os adversários por 4 a 0.

Os outros dois confrontos deixei por último de propósito, afinal ambos aconteceram em finais de Copa. Em 1986, a Copa do México pode ser chamada também de a Copa de Maradona. “El Pibe de Oro” foi decisivo durante toda a competição, mas teve seu maior brilho no duelo contra a Inglaterra, quando marcou duas vezes : o gol “La Mano de Diós”, e uma das maiores obras-primas dos mundiais, driblando seis jogadores em velocidade, tirando do goleiro e completando para decretar a vitória argentina por 2 a 0 nas quartas de final. Na semifinal, mais um show de Maradona contra a Bélgica.

Maradona foi o melhor jogador da Copa de 1986 e levantou a taça para a Argentina. foto: Getty Images

A decisão reservaria para Maradona a dura marcação alemã, com seu ferrolho armado por Franz Beckenbauer. O camisa 10 era marcado individualmente, muitas vezes por mais de um defensor, e sofreu falta atrás de falta, sem espaço para desfilar sua genialidade em campo. Maradona não era o único alvo das chuteiras germânicas, que não perdiam viagem ao encarar qualquer canela argentina. Numa dessas faltas, o zagueiro José Luis Brown cabeceou livre para abrir o placar, aos 23 minutos de jogo. Nas poucas chances que escapava da marcação, Maradona deixava todos os pelos dos alemães arrepiados e criava boas oportunidades. Na mais clara, ficou cara a cara com o goleiro, que saiu no desespero para dividir a bola e afastar o perigo. No segundo tempo, o quadro não mudou. Maradona começou a jogar mais recuado para abrir espaço a seus companheiros. Desta maneira iniciou a jogada do segundo gol, marcado por Valdano, aos 10 minutos.  A Alemanha chegou ao empate com duas jogadas de escanteio, aos 28, marcado por Rummenigge, e aos 35, com gol de Rudi Vöeller.  Faltando poucos minutos para a prorrogação, Maradona desequilibrou novamente. Cercado por quatro alemães, El Pibe fez um lançamento de primeira para Burruchaga, que escapou pela direita e fuzilou, fechando o placar por 3 a 2. A Argentina conquistava seu segundo título mundial e consagrava seu maior craque de todos os tempos: Maradona.

 

Quatro anos mais tarde, quiseram os deuses do futebol colocar Alemanha e Argentina novamente frente a frente em uma final de Copa do Mundo. A Argentina veio de uma campanha sofrida, com resultados magros. Nas oitavas, Maradona e Caniggia resolveram a parada contra o Brasil, na vitória por 1 a 0, lance que virou o hit da torcida albiceleste nesta copa. Na duas fases seguintes, empates com Iugoslávia (0 a 0) e Itália (1 a 1) e a vaga para a final chegou graças às atuações espetaculares do goleiro Goycochea, que defendeu duas cobranças de pênaltis em cada jogo. A Alemanha já tinha um time mais técnico do que na Copa de 1986. Chegou à final após passar por Holanda (2 a 1); Tchecoslováquia (1 a 0); e Inglaterra, nos pênaltis, depois do empate por 1 a 1.

Em 1990, a Aelamanha deu o troco e foi a vez do capitão Lothar Matthäus erguer a Copa do Mundo. Foto: Getty Images

O jogo foi amplamente dominado pelos alemães, que criaram muitas chances de gol, mas paravam no goleiro argentino. O time dirigido por Franz Beckenbauer pressionava o tempo inteiro e conseguiu uma vantagem numérica em campo, após a expulsão de Monzón, que levantou Klinsmann, aos 30 minutos do segundo tempo. Dez minutos depois, o juiz marcou um pênalti polêmico contra a Argentina. Andreas Brehme bateu no canto de Goycochea e fez 1 a 0 para a Alemanha. Antes de acabar a partida, Dezotti também foi expulso por agredir um zagueiro alemão. A vitória deu o tricampeonato mundial para a Alemanha e consagrou Beckenbauer por igualar a marca de Zagallo de ser campeão como treinador e jogador, feito até hoje não repetido por ninguém.

Neste domingo, Alemanha e Argentina farão o tira-teima desta decisão, na final que mais vezes se repetiu em 20 edições da Copa do Mundo. A Alemanha vem embalada pela goleada que aplicou sobre o Brasil, enquanto a Argentina vai usar toda sua garra para tentar levantar a taça depois de 28 anos, inspirada pela atuação heroica de Sérgio Romero nos pênaltis, contra a Holanda. O Maracanã vai tremer!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s