Copa do Mundo/Futebol

“Eu acredito!” – Alemanha massacra Brasil no Mineirão e chega à final da Copa

O futebol não é uma ciência exata, aliás está muito longe disso. Mas planejamento e organização são cada vez mais fundamentais para o sucesso, também no esporte bretão. Em 2006, a Alemanha sediou a Copa do Mundo e foi eliminada na semifinal, na prorrogação. Daquele time foi montada a base de uma filosofia de trabalho que tinha como objetivo fazer os Germânicos campeões do mundo novamente (o título veio em 1990 e a última final havia sido em 2002, com derrota para o Brasil). Na Copa seguinte, o time parou novamente na semi, mas a base construída quatro anos antes ganhava novos talentos. O plano previa que, em 2014, o grupo chegaria à Copa no Brasil em seu ideal, com uma boa mescla de jogadores experientes e jovens, com rodagem em mundiais e um esquema consolidado, usado também nos clubes alemães. As chances do tetra seriam grandes.

A Alemanha vinha cumprindo seu papel na Copa e se classificou em primeiro no grupo, mas o imponderável do futebol quase aprontou uma surpresa para o time do técnico Joachim Löw nas oitavas de final, quando o time penou para bater a Argélia. Passado o susto, vitória tranquila contra a França e a quarta vaga seguida em semifinal estava garantida.

Nesta terça-feira (08), a Alemanha colocava à prova sua filosofia e seu planejamento de oito anos contra um Brasil que tinha que administrar a pressão de vencer uma Copa em casa e que não podia contar com o seu principal jogador, lesionado. Mesmo sem Neymar, esperava-se uma seleção brasileira ligada no 220. O ambiente era todo favorável, Mineirão lotado e o grupo unido. O discurso era “se não dá para jogar com Neymar, jogaremos POR ele”.

Mas o que se viu foi a Alemanha sufocando o time de Felipão. A impressionante e exaustiva compactação treinada pelos alemães brecou todas as ações pensadas pelo Brasil. A pressão era intensa e a marcação começava no ataque. A constante troca de posição dos jogadores de preto e vermelho deixava tontos os que estavam de amarelo, dentro e fora de campo. Aos 9 minutos, Thomas Müller entrou livre leve e solto na pequena área e marcou o primeiro gol, após cruzamento de escanteio. A partir daí, a aula de futebol foi digna dos maiores pensadores alemães.

16 vezes Klose. Maior artilheiro das Copas Foto: Getty Images

Aos 22 minutos, Khedira rolou para Müller, que deixou para Klose marcar após duas tentativas. O camisa 11 chegou ao seu 16º gol em Copas, ultrapassou Ronaldo e se tornou o maior artilheiro de todos os mundiais. Dois minutos depois, Kroos ampliou depois de cruzamento de Lahm. Na sequencia, Fernandinho saiu jogando errado, perdeu a bola e ficou assistindo a troca de passes dos alemães, como se brincassem de bobinho, antes de Kroos fazer o quarto do jogo. Aos 29, foi a vez de Khedira receber o passe na triangulação e fuzilar as redes de Júlio César. Os 5 a 0 com menos de trinta minutos de jogo trucidaram o ânimo da torcida e, principalmente do time. David Luiz se lançava ao ataque no desespero. Tinha muita vontade de ajudar, mas deixava a defesa desorganizada e vulnerável.

Na volta do intervalo, Felipão colocou Ramires e Paulinho. O time melhorou, até porque não tinha como piorar. O Brasil criou três oportunidades de diminuir o vexame, com Bernard, Oscar e Paulinho, mas todas pararam nas mãos do gigante e seguro goleiro Neuer. A Alemanha continuou jogando sério, mas sem forçar muito. Mesmo assim marcou mais duas vezes com Schürrle. Júlio César ainda impediu o que seria um golaço de Müller, que bateu colocado no ângulo. No fim do jogo,  Özil ficou cara a cara com o goleiro brasileiro e chutou para fora. Na sequencia do lance, Oscar recebeu livre e entrou na área para marcar o gol de honra brasileiro. A maior derrota em 100 anos da seleção brasileira adiou mais uma vez o sonho do hexa. E agora, a luta pelo terceiro lugar, no sábado, virou prêmio de consolação para um time que não brilhou como se esperava.  Como falei no começo, o futebol não é uma ciência exata, mas a Alemanha chega para a final como grande favorita ao título, principalmente depois deste vexame imposto aos donos da casa.

Kroos marcou duas vezes e foi eleito o melhor jogador em campo. Foto: Getty Images

2 pensamentos sobre ““Eu acredito!” – Alemanha massacra Brasil no Mineirão e chega à final da Copa

  1. Pingback: Tévez comanda #Eterno7x1 do Corinthians contra o Santos | Fut 'n' Roll

  2. Pingback: Alemanha x Argentina – a final que mais se repetiu em Copas do Mundo | Fut 'n' Roll

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s