Copa do Mundo/Futebol

Mais do que nunca, perdeu como sempre

Miguel Herrera foi o quinto treinador da seleção do México nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014. Assumiu o time em 18 de outubro de 2013, na véspera do primeiro jogo da repescagem contra a Nova Zelândia. O time estava em frangalhos e só conseguiu uma vaga na repescagem porque os Estados Unidos venceram o Panamá fora de casa de virada no finzinho do jogo.

Apesar do seu comportamento muitas vezes alucinado à beira do campo, Herrera fez um belíssimo trabalho nesses oito meses. Sem medo de decisões polêmicas, conseguiu fazer funcionar o seu sistema preferido, o 5-3-2, variando em um 3-5-2. Colocou a principal estrela do time e homem favorito dos patrocinadores, Chicharito Hernández, no banco de reservas. Sobre o jogador do Manchester United, disse: “Para mim, ele não é a figura mais importante do México, mesmo que jogue em um grande clube e em um grande campeonato”.

miguel4

E suas convicções, certas ou erradas, levaram o México a montar um time sólido. Se classificou para as oitavas de final em segundo lugar com a mesma pontuação do líder, os donos da casa, o Brasil, eliminando o bom time da Croácia com uma vitória incontestável por 3 a 1.

A missão das oitavas de final era muito mais dura, a Holanda, um dos destaques do mundial até o momento. E o México fez uma grande partida. Buscou o jogo, atacou a Holanda e foi melhor, especialmente com Layun pelo lado esquerdo do ataque. Herrera, Giovanni dos Santos e Peralta também faziam grande partida. A defesa, comandada por Rafa Marques, também estava sólida e fazia jus aos bons números (apenas um gol sofrido em três jogos), apesar de ter cometido um pênalti não marcado em Robben.

No começo do segundo tempo, o prêmio. Giovanni dos Santos achou espaço pelo meio da defesa holandesa e bateu no canto esquerdo do goleiro Cillessen.

A desvantagem no placar fez Van Gaal mandar a laranja mecânica para cima. Tirou o lateral Verhaegh e mandou o atacante Depay a campo. O que era um cauteloso 5-3-2 virou um ofensivo 4-3-3. O México também fortaleceu sua marcação, tirando Giovanni para a entrada do volante Aquino.

E a tática foi simples. Segura na mão de Ochoa e vai. Sneijder, Robben e Huntelaar, que entrou no lugar do sumido Van Persie, tiveram boas chances de empatar a partida, mas pararam no bom goleiro mexicano, em mais uma grande atuação individual em Fortaleza.

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Mas água mole em pedra dura tanto bate até que o México toma gol em Copa do Mundo. Aos 42, após cobrança de escanteio, Huntelaar ajeitou de cabeça para Sneijder fuzilar o gol mexicano, sem chances para Ochoa.

Quando o cheiro da prorrogação já tomava conta de Fortaleza, o fedor da maldição mexicana se tornou mais forte. Aos 48, Robben invadiu a área e foi derrubado por Rafa Marquez. O árbitro português Pedro Proença marcou e Huntelaar decretou a virada, colocando a Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo.

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Os holandeses esperam agora o vencedor do duelo entre Costa Rica e Grécia para saber quem vão enfrentar no próximo sábado (5), em Salvador, por uma vaga na semifinal. Venha quem vier, os laranjas são favoritos à vaga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s