Futebol

Homenagem a um craque

Rivaldo, um dos maiores jogadores de futebol da história, anunciou sua aposentadoria neste sábado, aos 41 anos. Em um post no Instagram, o meia comunicou a difícil, mas necessária, decisão. ” Com lágrimas nos olhos hoje gostaria de primeiramente agradecer a Deus, minha família e a todos pelo apoio, pelo carinho que recebi durante esses 24 anos como jogador. Hoje venho comunicar a todos os torcedores do mundo que minha história como jogador chegou ao fim. Somente tenho que agradecer pela linda carreira que construí durante esses anos”.

Uma linda carreira mesmo.Victor Borba Ferreira nasceu em 19 de abril de 1972 na cidade de Paulista, em Pernambuco. Se tornou profissional no Santa Cruz, aos 18 anos. De lá, partiu para o Mogi Mirim, onde foi um dos destaques do famoso carrossel caipira do campeonato Paulista de 1992.

Após o belo campeonato estadual, foi emprestado ao Corinthians, que contratou todos os destaques daquele time do Mogi. Além de Rivaldo, desembarcaram no Parque São Jorge o meia Válber, o atacante Leto e o lateral Admílson. Rivaldo ficou no clube até o Paulistão de 1994, quando o técnico Mário Sérgio descartou sua contratação em definitivo após não acertar um preço com o Mogi Mirim. O Palmeiras, com apoio da parceira Parmalat, contratou o meia.

No Palestra, Rivaldo jogou o melhor futebol da sua carreira. Foi o destaque da campanha que culminou no quarto título brasileiro do clube, sendo vice-artilheiro da competição e aniquilando o Corinthians na final, marcando dois gols na primeira partida (vitória por 3 a 1) e um gol na segunda (empate em 1 a 1). Também fez parte do ataque dos 100 gols que deu ao Palmeiras o título estadual de 1996.

No meio de 1996, Rivaldo foi vendido ao La Coruña, da Espanha, para substituir o ídolo Bebeto. Lá, marcou 21 gols e conduziu o time ao terceiro lugar do Campeonato Espanhol daquele ano, credenciais suficientes para ser contratado pelo Barcelona, também para substituir um ídolo local: Ronaldo. Na primeira temporada na Catalunha, a 1997/1998, levou o time ao título espanhol, coisa que seu companheiro de seleção brasileira não conseguiu. Repetiu o feito na temporada seguinte, terminando 1999 como o melhor jogador do planeta.

Foto: Mundo Deportivo

Foto: Mundo Deportivo

Permaneceu no Barcelona até 2002, mas seu futebol já era muito contestado. Antes da Copa, foi vendido ao Milan e a transação fez muito bem ao meia. Ao lado de Ronaldo, Rivaldo foi o principal jogador na campanha que deu o quinto título mundial ao Brasil. Foi decisivo especialmente na fase de mata-mata, quando decidiu o jogo contra a Bélgica, empatou a difícil partida contra a Inglaterra e teve participação direta nos dois gols de Ronaldo na final contra a Alemanha.

No Milan, Rivaldo já mostrava sinais de decadência técnica. Não teve boas atuações, apesar de alguns títulos com a camisa rossonera, e acabou emprestado ao Cruzeiro em 2004, onde foi um fiasco. De lá, partiu para o futebol grego e depois foi para o futebol usbeque. Voltou ao Brasil em 2011, onde jogou no São Paulo. Depois foi para o futebol angolano e passou pelo São Caetano antes de retornar ao Mogi Mirim em 2014, onde encerrou a carreira.

Fora dos campos, Rivaldo vai continuar como presidente do Mogi Mirim e tocar uma empresa de blindagem de veículos no Estado de São Paulo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s