Futebol

Insanidade na marca do cal

Único duelo regional das quartas de final da Libertadores, Newell’s Old Boys e Boca Juniors prometiam fazer os dois jogos mais legais desta fase de La Copa.

Na verdade, não fizeram. Foram duas partidas encerradas sem gols e com poucas emoções, especialmente pelo Boca ter atuado com um jogador a menos no segundo tempo da segunda partida, após a expulsão de Clemente Rodrigues após dar uma PEITADA no árbitro ao reclamar de uma falta. No lance que originou a falta, Blandi havia acertado a trave do Newell’s.

O treinador do Boca, Carlos Bianchi, mostrou ser um grande estrategista defensivo e seu time foi pouco ameaçado até a inevitável decisão por pênaltis.

E todas as emoções do confronto foram guardadas para as cobranças decisivas. E olha que não foram poucas. Para definir o representante argentino na semifinal da Libertadores, Newell’s e Boca precisaram de 26 cobranças e quase meia hora até que um saísse vencedor, igualando o recorde de disputa mais longa da competição, ocorrida na semifinal entre o mesmo Newell’s contra o América de Cáli, em 1992.

Foto: Telam

Foto: Telam

Assim como há 21 anos, os leprosos saíram vencedores. Riquelme e Scocco, os dois craques dos times, precisaram bater duas vezes cada um, assim como Martínez e Maxi Rodrigues. Ironicamente, os dois jogadores do Boca erraram. A diferença é que o erro de Riquelme foi na primeira cobrança. A de Martínez, na última, a 25ª da série encerrada pelo experiente Maxi Rodriguez.

E o Newell’s mantém a escrita de nunca ter caído em uma fase quartas de final de Libertadores. Lutará agora para manter a escrita de nunca ter caído em uma semifinal também, no duelo contra o classificado entre Atlético Mineiro e Tijuana, na noite desta quinta (30).

Foto: Telam

Foto: Telam

Nas duas vezes que passou das oitavas de final, os leprosos chegaram à decisão de La Copa, nos anos 1988 e 1992, ficando com o vice nas duas ocasiões. Um dos volantes daquela equipe vice-campeã há 21 anos era Gerardo Tata Martino, o atual treinador do Newell’s, e dono de uma das grandes histórias desta Libertadores.

Martino recusou propostas financeiramente melhores para comandar o time do coração e tentar fazer as pazes com o destino, conduzindo a lepra a um caminho que esteve perto, mas não chegou a trilhar.

Você já tem 3 taças. Eu só quero uma (Foto: Telam)

Você já tem 3 taças. Eu só quero uma (Foto: Telam)

Faltam apenas quatro jogos para Tata Martino cumprir seu destino.

Um pensamento sobre “Insanidade na marca do cal

  1. Pingback: Drama e desespero no Horto | Fut 'n' Roll

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s