Futebol

O crime que não foi cometido

O futebol está recheado de histórias nas quais um time é favorito por jogar em casa, ter uma equipe melhor, a torcida a favor e necessitar de um resultado simples, como um empate ou uma vitória por 1 a 0. E que sai derrotado pelo time inferior, que se escorou em um centroavante cumpridor ou em um ponta arisco.

Quase isso aconteceu com o São Paulo nesta quarta-feira (28), pela semifinal da Copa Sul Americana. O tricolor paulista tem um time muito superior ao da Universidad Católica e jogava em um Morumbi com 55 mil almas esperando uma vitória incontestável.

Foto: Divulgação/Vipcomm

Mas Luís Fabiano, Lucas, Jádson e companhia esbarraram na falta de pontaria e em mais uma bela atuação do goleiro Toselli, que já havia impedido uma goleada tricolor em Santiago.

Além disso, a Católica cumpriu com precisão o manual do bom criminoso do continente sul-americano. Além de um goleiro firme, seus defensores bateram bem nos ágeis atacantes são-paulinos e impediram que o time de Ney Franco criasse ainda mais chances de gol.

Mas os chilenos não cometeram o crime. Tudo porque faltou um centroavante trombador ou um ponta ARDILOSO para praticar o ato de ousadia necessário para matar alguém maior e mais forte nos seus domínios. O único que tentou algo foi o próprio goleiro Toselli, mais uma vez o melhor homem em campo, que foi para a área de Rogério Ceni nos minutos finais tentar a cabeçada fatal. Que nunca aconteceu.

Foto: Divulgação/Vipcomm

E, com o placar virgem, o São Paulo se classificou pela primeira vez para a final da Copa Sul Americana. Agora, aguarda o vencedor do duelo entre Millonarios, da Colômbia, e Tigre, da Argentina. Se passar o time colombiano, o primeiro jogo será no Pacaembu (o Morumbi estará ocupado pela cantora Madonna) e a grande final será em Bogotá. Se os argentinos se classificarem, a primeira partida será sob o território de Cristina Kirchner e o campeão será conhecido no estádio do Morumbi.

Se a bola apresentada não credencia o São Paulo como favorito absoluto, a história sim. Toda vez que a Universidad Católica chegou na semifinal de um torneio continental, o time que a eliminou acabou sendo campeão. Foi assim nas Libertadores de 1962, 66, 69, 84 e na Sul Americana de 2005. Em 1993, a Católica chegou à final, mas foi derrotada justamente pelo São Paulo

2 pensamentos sobre “O crime que não foi cometido

  1. Pingback: O dilema são-paulino | Fut 'n' Roll

  2. Batata, é isso. Faltou pontaria e uma certa dose de ousadia em certos momentos do jogo, em que o time tinha espaço para o ataque, mas pecava na falta de velocidade. Lucas, Oswaldo – que errou muito, mas correu como o diabo – e Paulo Miranda jogaram muito ontem. Ganso entrou mas ninguém viu. Fabuloso teve poucas chances. E o juiz deu de louco invertendo alguns lances e pesando pouco a mão nos cartões. Eu estive lá e a festa foi bonita: 55 mil apaixonados pelo time que, como você bem disse, amargava 6 anos sem uma final internacional. Que venha o Tigre, pra que a festa no Morumbi seja completa. Bração, Melão

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s