Futebol

Homens da Vila

O Santos entrou em campo na noite desta quinta-feira nervoso. Não precisava ser nenhum gênio para saber que o Vélez Sarfield se armaria com mais atenção ainda do que teve na Argentina. Especialmente com Neymar, bem marcado no jogo de ida.

E bem marcado no jogo de volta. Para não falar que o primeiro tempo do melhor jogador santista foi NULO, ele protagonizou a jogada que causou a expulsão do goleiro Barovero, que foi obrigado a sair da área e dar um pontaté em Neymar para evitar o primeiro gol santista.

Com o goleiro expulso, o técnico Ricardo Gareca fez o digno para uma boa retranca. Colocou o arqueiro reserva no lugar do centroavante Óbolo. E o Vélez seguiu trancadinho na Vila.

No segundo tempo, o Santos tentou pressionar. Ainda assim, o goleiro ameaçado em campo foi Rafael, que quase tomou um gol do meio de campo de Fernandéz.

E o tempo passou. O Santos criou poucas chances para desvirginar as redes do Vélez. Alan Kardec perdeu uma chance que lembrou Diego Souza contra o Corinthians.

Mas no lance seguinte, o mesmo Kardec recebeu uma bola na entrada da área e, ao contrário de Diego Souza, se redimiu.

O problema é que o Vélez manteve a calma e a retranca. E a decisão só saiu nas penalidades máximas.

Lá, brilhou a estrela de Rafael. O questionado goleiro santista parecia argentino ao pular de um lado pro outro na linha e apontar para um canto e pular para o outro. Confundindo o adversário, ele defendeu o pênalti de Papa e viu Canteros isolar sua cobrança.

Pelo segundo ano seguido, o grupo de garotos imberbes passa por uma prova de fogo e mostra maturidade. E COJONES. Mais do que futebol-arte, esse time do Santos também sabe comer grama para conseguir as vitórias.

E o sonho de ganhar o título mais importante que disputa no ano do seu centenário segue cada vez mais vivo. Para temperar um pouco mais, o adversário da semifinal será o maior rival, o Corinthians. Pacaembu e Vila Belmiro vão estremecer.

No outro jogo da noite, parecia que tudo ia dar certo para La U. Os chilenos começaram pressionando o Libertad e conseguiram o gol logo aos 17 minutos de jogo, depois de uma falta “a la Ronaldinho” cobrada por Díaz.

Mas cinco minutos depois, Gonzalez se atrapalhou com a bola e empurrou para as próprias redes. E o Libertad armou aquela retranca marota para segurar o resultado e especular nos contra-ataques.

No fim das contas, conseguiram. Apenas um. Quase fatal. Aos 46 do segundo tempo, em uma cobrança de escanteio, Gamarra cabeceou e Johnny Herrera, sim, JOHNNY HERRERA, fez milagre. E, assim como na Vila Belmiro, a vaga para a semifinal de La Copa seria decidida nos pênaltis.

E, de novo, brilhou a estrela surreal de Johnny Herrera. O goleiro e dublê do Jorge Campos defendeu a penalidade batida por Ayala enquanto seus companheiros não erraram uma cobrança (apesar da batida de cavadinha e com EMOÇÃO de Ruidíaz). E a Universidad do Chile está nas semifinais.

Com isso, tudo definido. Uma semifinal será brasileira, entre Santos e Corinthians. O brasileiro que passar enfrentará o vencedor entre Boca Juniors e Universidad do Chile.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s